Lição 10 - Princípios Gramaticais de Interpretação Bíblica – Regra 1

27/08/2013 19:29

            Hoje se inicia uma maravilhosa etapa! Agora estamos chegando ao ponto que todo Defensor da Fé deve conhecer e dominar. Neste momento pedimos aos irmãos alunos toda a atenção e foco no conteúdo da lição amém?

            A Bíblia Sagrada for escrita em linguagem humana e conseqüentemente deve, antes de tudo, ser interpretada gramaticalmente.

            No estudo do Texto Sagrado, podemos proceder de duas maneiras. Podemos começar a sentença com a expressão do pensamento do autor considerando com unidade, e daí descer às particularidades, à interpretação das palavras isoladas e dos conceitos. Ou podemos começar com estes e daí subir à consideração da sentença, do pensamento como um todo. Do ponto de vista puramente lógico e psicológico o primeiro método merece preferência. Razões práticas, porém, aconselham começar a interpretação de literatura estrangeira com o estudo de palavras isoladas.

Regra 1

A Escritura tem somente um sentido, e deve

ser tomado literalmente.

            No dia-a-dia, nenhuma pessoa séria permitiria que as suas palavras tivessem dupla interpretação. Ao contrário, deseja que o sentido claro e verdadeiro seja captado pelos ouvintes ou leitores. Por exemplo, se você dissesse a um grande auditório: “Atravessei o oceano, da África ao Brasil”. Não gostaria que os seus ouvintes interpretassem sua afirmação como significando que você atravessou as difíceis águas da vida até o ponto de uma nova experiência. Semelhantemente, nenhum jornalista gostaria de escrever sobre a fome e os sofrimentos dum país como a Etiópia e ver suas palavras interpretadas com o sentido de que o povo daquele país está experimentando grande fome intelectual.

Novas tendências na interpretação bíblica – C U I D A D O !

            Por mais que repudiemos a atitude de pessoas que explicam a moral por meio de casos na interpretação da Escritura, a realidade nos obriga a ver que a grande parte da igreja ecumênica[1] faz precisamente isso. Chamam-lha empregos de “palavras conotativas[2]”; uma forma de “contextualizar” as Escrituras à realidade moderna. Exemplo: Já não empregam a palavra “reconciliação” no sentido bíblico do homem reconciliar-se com Deus. “Redenção” já não é empregada no sentido bíblico do homem ser salvo do pecado e do castigo. Em vez disto, dão-lhe diferente “conotação”, e opinam que ela tem a ver com melhoria social e cultural da sociedade. “Missão” foi substituída por “diálogo”; enquanto que “conversão” é um conceito inaceitável.

            Inaceitável seríamos nós, pregadores de Sã Doutrina, coadunar com esse tipo de pensamento maligno que busca diminuir o sentido e a autoridade da Palavra de Deus.

            Devemos entender, porém, que para nos comunicar bem, precisamos considerar o seguinte:

a)      O verdadeiro propósito da Palavra é transmitir o pensamento e;

b)      A língua é um meio de comunicação confiável.

            Portanto, a interpretação literal, no contexto, é a única interpretação verdadeira. Se você não tomar a passagem literalmente, todos os tipos de interpretações fantasiosas podem resultar disso.

Se a Bíblia não diz o que ela declara, que provas existem de que ela diz o que os intérpretes alegam que ela diz?

Pense nisto

            Quando você encontrar uma passagem bíblica para qual o contexto indica uma interpretação literal, e você preferir dar-lhe outra interpretação, não literal, avalie cuidadosamente os seguintes motivos sugeridos por Henrichsen:

1 – Estarei pondo em dúvida que esta passagem é literal simplesmente porque não quero concebê-la?

2 – Estarei interpretando esta passagem figuradamente só porque ela não se enquadra na minha tendência teológica preconcebida?

            Uma vez que você precisa analisar prudentemente os seus motivos, se a conclusão no estudo da Escritura é resultado da sua tentativa de fazer Deus comportar-se como você acha que Ele deve comportar-se, está errada toda a sua abordagem da interpretação bíblica. Lembre-se que você é um servo de Deus. Por isto a tarefa é entender a Sua Palavra com a inteligência só alcançada com o auxílio do Espírito Santo.

            A aplicação das regras de interpretação sempre deve basear-se num motivo correto. Só assim lhe é possível determinar qual o sentido usual e ordinário da Palavra, dando-lhe outro sentido apenas quando o contexto o exigir.

Quando a palavra tem duplo sentido

            Nenhuma afirmação deve ser considerada como tendo mais de um sentido. Nenhuma palavra pode significar mais de uma coisa, segundo o emprego dela feita na passagem. A mesma palavra pode, todavia variar de sentido dentro da mesma sentença, quando usada mais uma vez. Exemplo disso:

João 4:24

24 Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.

            Você deve ter notado que a palavra “espírito” é empregada duas vezes neste versículo, mas com significado diferente. Na primeira se refere a Deus como agente invisível mas real, enquanto que a segunda se refere a totalidade, ao interior e coração do homem.

            Orientação especial do tutor Fábio aos irmãos:

            Quando uma passagem ou palavra parece ter mais de um sentido, escolha a interpretação mais clara. O significado mais óbvio geralmente é correto.

            Oramos para que Deus desperte um amor e um senso de responsabilidade ainda maior no coração de cada um dos irmãos. Que vocês sejam racionais e ao mesmo tempo possam se emocionar e se encantar com este aprendizado.

Que o Senhor os abençoe poderosamente!

___________________________________________________________________________

Responda o questionário abaixo e nos envie amém?

Iremos receber, analisar e logo depois confirmaremos sua presença aqui.



[1] Ecumenismo é o processo de busca da unidade. O Dicionário Aurélio define ecumenismo como movimento que visa à unificação das igrejas cristãs (católicaortodoxa e protestante). Concordamos com sua essência por ser única a Palavra de Deus, porém não participamos desta visão atual por haver divergências doutrinárias que contraria as Escrituras em todo o seu contexto mais precisamente em Salmos 119:63 que diz: “Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos”.

[2] Palavras conotativas são palavras que possuem sentidos secundários somados ao significado original da palavra. Esses ferem os princípios gramaticais de interpretação aqui apresentados. Cuidado com isso meus irmãos!

 

Sejam todos abençoados no Nome de Jesus!

*Leiam, meditem e guardem o que diz a palavra de Deus em:

Gálatas 1:8

Lição 10 - Princípios Gramaticais de Interpretação Bíblica – Regra 1


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!