Introdução

01/03/2012 17:57

         Nestes últimos tempos tem-se popularizado uma idéia errada de que não precisamos interpretar a Bíblia, mas apenas lê-la e fazer o que ela diz. Alguns chegam ao absurdo de afirmarem ser carnal o fato de buscarmos uma interpretação precisa da Palavra de Deus. Exatamente pela freqüência com que esta questão é levantada, vê-se nela um protesto contra aqueles que fazem mais do que ler a Bíblia, contra aqueles que a estudam procurando encontrar nela a mente divina e interpretá-la ao alcance da mente do homem e da mulher comuns.

            É muito duro afirmar isso, mas hoje estamos vivendo o maior período de analfabetismo bíblico da história da igreja.

            Para os que se opõe ao estudo cuidadoso e a interpretação fiel da Bíblia, qualquer pessoa com a metade de um cérebro pode lê-la e entendê-la.

            Errado! É justamente por isso que vemos inúmeros modismos religiosos e heresias em nosso meio. Pessoas interpretando os textos de forma equivocada dando vazão para todos os tipos de erros doutrinários. Infelizmente, essa mentalidade faz com que a Bíblia seja a maior fonte de heresias do mundo! Justamente por este motivo que, pela misericórdia de Deus, Ele levantou o Ministério de Defesa da Fé Defensores do Evangelho e alguns outros abençoados ministérios e pessoas como a Igreja Missionária Beréia em Piracicaba-SP sob direção do Espírito Santo na pessoa do Pastor João Francisco do Prado, um dos nossos mestres em Sã Doutrina.

           Lendo o livro de Fee Stuart, “Entendes o que lês?” o problema da interpretação das Escrituras é que um grande número de pregadores e professores da Bíblia cavam tanto nas suas pesquisas bíblicas que tendem a enlamear as águas, tornando obscuro o que antes era para ser claro na Bíblia.

             Aceitamos e podemos concordar que os cristãos devem aprender a ler a Bíblia, crer nela, e obedecê-la. E concordamos de uma forma especial que a Bíblia não é, e não precisa ser um livro obscuro, se for corretamente estudada e lida. Na realidade estamos convictos que o problema individual mais sério que as pessoas têm com a Bíblia, por mais incrível que pareça ser não é uma falta de entendimento, e sim, o fato de que entendem bem demais a maior parte das coisas! O problema de um texto como: “fazei tudo sem murmuração nem contendas” (Filipenses 2:4), por exemplo, não é compreendê-lo, mas, sim, buscar obedecê-lo, colocá-lo em prática.

            Podemos concordar, também, que um pregador ou professor estão por demais inclinados a escavar primeiro, e a olhar depois e assim encobrir o significado claro do texto, que freqüentemente está na superfície. Incrível como essa afirmativa é verdadeira à muito tempo. Paulo afirmava: “Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos e se apartem da simplicidade que há em Cristo (2 Coríntios 11:3). Seja dito logo de início, e repetindo a cada passo, que o alvo de uma boa interpretação não é a originalidade, não se procura descobrir aquilo que ninguém jamais viu. (Fee Stuart, Entendes o que lês? Pag.: 13)

Para aproveitarmos ainda mais o estudo desta matéria, há pelo ao menos duas coisas as quais você deve ter em mente.

1º) A Bíblia é um livro singular (único), especial, que se distingue significativamente dos demais valiosos compêndios de literatura já produzidos até hoje.

2º) Essa é para você guardar no seu coração: - Não podemos compreender as Escrituras por meio de inteligência humana, a menos que contemos com a ajuda de ação iluminadora do Espírito Consolador que sonda as profundezas de Deus e esclarece os mistérios da perfeita Sua Palavra. 

            Desse modo, o estudo cuidadoso, sadio e constante das Escrituras se impõe como o principal meio de homens natural vir a conhecer a Deus e a Sua vontade para com a sua vida, e do crente conhecer o propósito santificador de Deus para si e para todos os salvos.

            É a nossa atitude para com aquilo que a Bíblia diz, que determinará em grande parte os conceitos e as conclusões que tiramos de seus ensinamentos. Isso tem sido o motivo de apostasia na fé de muita gente que deseja fazer tudo como lhe é apraz, ao se depararem com uma ordem Divina explícita na Bíblia contrária ao que pensam estes a ignoram como sendo verdade e fazem o que manda sua consciência.  Ao contrário, se a temos na conta de autoridade divina e plena nos assuntos de que trata, então suas afirmações positivas constituem para nós a única base de doutrina cristã. É justamente esse o elemento de apreciação da Hermenêutica Sagrada.

            Pela sua singularidade, a Bíblia não pode nem deve ser interpretada ao bel-prazer do leitor. Tenha ele a cultura que tiver; aqui, o que manda não é a capacidade em sim o Espírito Santo. Portanto, para captar a mente de Deus e o que o Espírito Santo ensina na Bíblia, necessitamos estudá-la seguindo alguns princípios universalmente aceitos. Dentre o grande número desses princípios universais que iremos aprender ao longo do nosso curso, gostaríamos de destacar e antecipar para os irmãos os maravilhosos princípios que aprenderemos detalhadamente e os colocaremos em prática em nosso treinamento, são eles:

1 – Estude a Bíblia Sagrada partindo do pressuposto de que ela é a autoridade suprema em questão de religião, fé e doutrina.

2 – Não se esqueça que a Bíblia é o melhor intérprete de si mesma; isto é, a Bíblia interpreta a Bíblia.

3 – Dependa primeiramente da fé salvadora e do Espírito Santo para a compreensão e interpretação da Escritura.

4 – Interprete a experiência pessoal a luz da Escritura, e não a Escritura a luz da experiência pessoal.

5 – Os exemplos bíblicos só têm autoridade prática quando amparados por uma ordem que os faça mandamento geral.

6 – O principal propósito da Escritura é mudar as nossas vidas, não multiplicar os nossos conhecimentos.

7 – Todo o cristão tem o direito e a responsabilidade de interpretar pessoalmente a Escritura, seguindo princípios universalmente aceitos pela ortodoxia cristã.

8 – Apesar da importância da história da Igreja, ela não chega a ser decisiva na fiel interpretação da Escritura.

9 – O Espírito Santo quer aplicar as promessas divinas, exaradas na escrituras, à vida do crente em todos os tempos.

            Devemos sempre orar no sentido de que no final do estudo do presente curso, você seja tal qual um escriba instruído acerca do reino dos céus, “semelhante a um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas. (Mateus 13:52).

_____________________________________________________________

Clique aqui e baixe o questionário.
Obs.: Baixe - Responda - Envie por e-mail

(Confirmaremos seu primeiro dia de presença)


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!